Quem já tentou realizar uma reforma ou uma obra maior por conta própria, sabe o quanto pode ser complicado e frustrante ter que lidar com percalços como desperdícios de materiais, problemas de relacionamento com a equipe de trabalhadores ou situações similares. Contratar um arquiteto, nesse contexto, é uma excelente forma de planejar e gerenciar essa tarefa.

No entanto, se você ainda não tem nenhum contato prévio, escolher um profissional da área pode ser complicado. Para fazer uma opção segura e acertada, o mais indicado é seguir alguns critérios de análise e fazer comparações, de forma a encontrar a empresa ou profissional que mais se adéque às suas necessidades.

Acompanhe nosso post e saiba mais sobre quais cuidados você deve tomar ao contratar um arquiteto para um projeto ou uma consultoria!

Quais critérios devo analisar para contratar um arquiteto?

Alguns pontos são fundamentais para saber se determinado profissional desempenha as funções para as quais é contratado de forma eficiente e satisfatória, além de saber compreender e traduzir as suas necessidades e expectativas da melhor forma possível.

Defina bem seus objetivos

Primeiro de tudo, considere o tipo de serviço que você deseja. Afinal, para cada intervenção arquitetônica, existem procedimentos diferentes. Os mais comuns são a elaboração de um projeto e as consultorias, cujas diferenças são bastante simples.

Para a construção de uma casa ou uma reforma de grande porte, por exemplo, você certamente precisará de um projeto completo e detalhado, para que os órgãos competentes aprovem a obra e a execução prossiga regularizada. Normalmente, têm custo mais elevado, devido à quantidade de horas que o arquiteto dedicará para elaborar um bom projeto.

Já em casos de reorganização de layout ou decoração de espaços internos, dicas de quais revestimentos escolher, avaliação de viabilidade de uma obra ou para outras atividades menores, apenas uma consultoria já é eficiente — tem custo menor e fornece as devidas orientações técnicas necessárias para solucionar um problema.

Peça indicação e veja os trabalhos anteriores

Conhecer profissionais que já prestaram serviço de qualidade para as pessoas que você mais confia, já é um grande passo para fazer uma escolha segura, uma vez que poderá avaliar o quão satisfeito seu amigo ou familiar ficou com o trabalho executado pelo arquiteto indicado.

Hoje em dia, a maioria dos profissionais e escritórios está presente nas redes sociais, de maneira a aproximar a prática da arquitetura do cotidiano das pessoas. Pesquisar as contas dos profissionais indicados, para saber se o estilo de trabalho do arquiteto corresponde ao que você espera que seja alcançado em seu projeto, é uma ótima estratégia.

Marque reuniões

Mesmo que o arquiteto desempenhe suas funções da melhor forma possível, marcar uma reunião, antes da contratação, é de grande importância para conhecer a forma que o profissional lidará com os vários aspectos envolvidos numa obra ou consultoria, durante todo o tempo compartilhado com o cliente.

Além disso, nas reuniões, é possível conversar sobre os honorários, de que maneiras o pagamento pode ser feito e as melhores formas de alcançar os objetivos, de acordo com o orçamento disponibilizado pelo cliente.

A conversa também é essencial para que o cliente forneça, com exatidão, todos os detalhes necessários para que o projeto cumpra suas funções práticas, estéticas e simbólicas — medidas, localização de instalações hidrossanitárias, elétricas e iluminação, tempo disponível e, em condomínios, as normas e padrões exigidos em intervenções arquitetônicas.

Pesquise o registro profissional do arquiteto

Os Conselhos Regionais de Arquitetura e Urbanismo de cada estado (CAU/UF) são os órgãos que regulamentam a profissão e podem disponibilizar informações sobre a atuação de determinado arquiteto. Consultar esses registros pode ajudar a identificar irregularidades — desde o não cumprimento de regras até a identificação de falsos profissionais.

Atenção: os Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia (CREA) não são mais responsáveis pelos registros profissionais dos arquitetos, desde a fundação do conselho próprio da categoria, em dezembro de 2011.

Compare as propostas

Depois de realizar a reunião com alguns dos arquitetos com os quais você mais se identificou na análise prévia, compare as propostas oferecidas por eles. Analise o que cada uma oferece, quais serão os custos e os prazos para conclusão dos serviços, levando em consideração a qualidade do resultado.

É importante também escolher um profissional que saiba especificar detalhadamente todos os custos envolvidos na prestação dos serviços. Isso demonstra seriedade e comprometimento, assegurando que a consultoria realizada, ou o projeto entregue, não são feitos de forma arbitrária, mas sim de acordo com cada demanda do cliente.

Caso surjam dúvidas sobre as propostas, sinta-se à vontade para entrar novamente em contato com os arquitetos, de modo que não reste nenhum ponto sem os devidos esclarecimentos. Só assim, você se sentirá plenamente seguro para tomar uma decisão.

Como contratar um arquiteto pode me ajudar?

Se você optar por consultoria, não se sinta constrangido em questionar as possibilidades de fazer um pacote de horas, para que o arquiteto o acompanhe em etapas-chave do processo. Afinal, consultorias costumam ser muito mais amplas do que aparentam e, para soluções simples, evitam gastos excessivos e tiram partido dos conhecimentos técnicos dos arquitetos.

Caso a consultoria seja para decoração de interiores, por exemplo, o arquiteto participa da análise do ambiente e elabora orientações gerais, além de acompanhar na escolha de acabamentos e mobiliário. Outros tipos de serviço são, ainda, a avaliação de imóveis ou terrenos para aluguel ou compra e a regularização de documentação em órgãos públicos.

Além disso, muitas vezes o arquiteto é responsável, além do projeto, pelo acompanhamento e gerenciamento da obra, de modo a controlar o processo integralmente. Essa racionalização evita erros de execução, desperdício de recursos financeiros devido à compra equivocada de materiais e outros problemas que podem transformar seu sonho num grande pesadelo.

Procure sempre buscar um denominador comum com seu arquiteto. Afinal, ele é o responsável por garantir a excelência que o seu projeto merece. Todo cliente é livre para fazer sugestões e questionar as decisões projetuais, mas o importante é valorizar os conhecimentos técnicos e estéticos que o profissional entrega durante seu trabalho.

Por que não devo começar uma obra sem orientação?

Tocar uma reforma ou construção por conta própria propicia a possibilidade de resultar em prejuízos de grandes proporções, comprometendo seriamente o orçamento familiar e até a convivência harmônica entre os futuros usuários daquele espaço.

Um bom projeto custa em torno de 5 a 15% do valor total de uma obra. Por mais que pareça um custo excessivo ou supérfluo, tem influência positiva em todo o processo, desde a concepção das soluções até a finalização de cada acabamento. A garantia que você não precisará construir mais de uma vez para corrigir erros, já é o maior retorno do investimento.

Portanto, não caia na armadilha de contratar profissionais que não detêm todo o conhecimento necessário para planejar a sua reforma, uma vez que eles não terão como representar da melhor maneira os seus interesses — nem tecnicamente, nem judicialmente.

Fique sempre atento à formalização dos serviços. Exija a documentação adequada, como proposta, orçamentos e cronogramas por escrito, contrato ou termo de prestação de serviços devidamente assinados e datados. Dessa forma, tanto você, como cliente, quanto o arquiteto, ficam legalmente respaldados quanto a seus direitos e deveres.

Agora que você já sabe da importância de contratar um arquiteto para cuidar da sua construção ou reforma, entre em contato conosco! O Arquiteta Responde pode te ajudar com consultorias online, tornando os serviços de arquitetura acessíveis e práticos a qualquer lugar!

 


Rejanedrumond
Rejanedrumond

Apaixonada pela criatividade, pela beleza nas pequenas coisas e pela alegria que move a vida. Acredita que a arquitetura é feita para melhorar a vida das pessoas, seja pelo prazer de estar em uma casa bonita, na praticidade de usar um espaço bem pensado ou na proteção e conforto de uma edificação.

Leave a Reply

Your email address will not be published.