Já não é segredo para ninguém como o home office, também conhecido como “trabalho em casa” ou mesmo “trabalho remoto”, tem se tornado importante, disseminando-se cada vez mais entre funcionários de vários tipos de cargos e vagas.

Após a crise ou pandemia de 2020 isso se tornou ainda mais verdadeiro. Segundo uma pesquisa recente da própria Agência Brasil, desde então já passa de 45% o número de empresas privadas ou governamentais que aderiram ao formato.

Claro que algumas funções sempre precisarão de profissionais trabalhando presencialmente, como o ramo de empresas de instalações elétricas, cujos técnicos operacionais precisam comparecer ao cliente para realizar a instalação.

Seja como for, o levantamento também apurou que muitas delas entregaram seus endereços físicos (ou se mudaram para instalações menores), aceitando que uma parte significativa da folha de pagamento pode trabalhar via home office.

Na verdade, esse avanço já vinha acontecendo em países de primeiro mundo, embora no Brasil o avanço ainda fosse lento e restrito a freelancers, geralmente da área de marketing, como redatores, revisores e web designers.

Até que, após a crise, as empresas começaram a reavaliar e ver vantagens. Por exemplo, um projeto de automação residencial simples, é visível que parte desse trabalho exige profissionais presenciais, porém outra parte não exige.

Além do mais, toda empresa sempre terá uma demanda administrativa, de áreas como a jurídica, a de contabilidade e até mesmo de RH, que também pode se digitalizar com facilidade, chegando a fazer entrevistas por videoconferência.

É exatamente aí que entra o papel do colaborador que trabalha em casa, bem como preocupações em torno dele, seja no tocante ao bem-estar ou mesmo à decoração e aos impactos diversos que isso vai ocasionar em sua casa.

Por isso decidimos escrever este artigo, trazendo dicas práticas sobre como você pode aderir ao home office, ou ficar mais tranquilo caso seja chamado para isso. Realmente, há várias maneiras de criar um espaço dedicado em total harmonia com o seu lar.

O mais bacana é que os projetos decorativos podem ir desde as soluções mais elaboradas, como instalação de portas acústicas, até alternativas mais em conta, que cabem no bolso de qualquer um. 

Se você quer entender como isso é possível, basta seguir adiante na leitura.

1.     A importância de planejar

Tudo no mundo dos negócios começa com um bom planejamento, não é mesmo? Pois bem, agora que você vai trabalhar em casa, não vai ser diferente.

Antes de tudo é preciso considerar todos os fatores, tais como:

  • Você vai trabalhar sozinho(a)?
  • Haverá mais pessoas em casa?
  • Você fará muitas videoconferências?
  • Seu trabalho demanda privacidade?
  • Haverá gravação de áudios e afins?
  • Você atenderá diretamente o cliente?
  • Já há um lugar com boa iluminação?
  • O conforto está sendo considerado?
  • E a postura e funções ergonômicas?

Enfim, antes de pensar na parte estética e contratar uma empresa de pintura para deixar seu escritório ou seu cantinho com a cara perfeita, é preciso considerar esses fatores.

Até porque, você não vai querer montar a decoração perfeita e depois ter de desfazer algo em função de uma demanda maior por privacidade, ou por questão de saúde, certo?

2.     Conforto e design juntos

Acima falamos, de passagem, sobre as questões de saúde, conforto e até ergonomia. Na verdade, esse ponto merece ser detalhado, até porque hoje ele já anda de mãos dadas com fatores como design de interiores, decoração e harmonia do lar.

Isso quer dizer que a maioria das agências e lojas de móveis e de decoração levam em conta não apenas o aspecto visual dos cômodos, mas também a funcionalidade deles, tanto pensando no ser humano quanto no meio ambiente.

Imagine um projeto de alarme de incendio, por exemplo. Para ser realmente eficiente, ele não precisa ser apenas bem instalado, mas também levar em conta as pessoas que utilizam aquele ambiente, eventuais limitações que elas tenham, pontos de fuga, etc.

Comece pensando na mesa de trabalho, que é o elemento básico de qualquer home office. Uma dica fundamental de decoração é seguir o estilo dos demais móveis e elementos, que podem ir desde prateleiras e pisos até vasos de planta e afins.

Ao mesmo tempo, o tamanho é um aspecto visual, mas também já entra na funcionalidade, pois depende do uso de monitores ou notebooks, pastas ou papéis soltos, entre outros fatores. Também seria bom deixar perto da janela e da luz natural.

Todas essas frentes podem ser favorecidas pela variedade que existe hoje no mercado. Se a escrivaninha pode combinar mais com determinado ambiente, também há soluções como um móvel planejado ou até um tampo com cavaletes.

3.     Decoração e ergonomia

Além do design que precisa andar de mãos dadas com o conforto, também precisamos aprofundar na questão da ergonomia, termo que se popularizou, mas poucos entendem.

A função principal dessa ciência é entender melhor a interação entre seres humanos e dispositivos móveis. Nesse sentido, otimizar processos e projetar o conforto e a saúde são apenas um aspecto dessa disciplina.

Por isso, essa ciência ou metodologia também é muito mais ampla do que imaginamos em um primeiro momento. Por exemplo, uma cadeira que não cumpra com os requisitos mínimos pode causar, no médio e longo prazo:

  • Dores de cabeça e torcicolo;
  • Ombros tensos e arcados;
  • Cãimbras e lombalgia;
  • Inchação nas pernas e joelhos;
  • Veias inferiores varicosas.

Por outro lado, os fatores que podem evitar isso têm tudo a ver com uma opção ergonômica, sem dúvida, mas também com a decoração e com o design do espaço e dos seus móveis primários e secundários.

Por exemplo, um encosto mais macio e apropriado para as costas pode combinar sua textura com a de uma poltrona ou sofá que esteja no mesmo ambiente, ou mesmo com as cortinas.

Outro exemplo: os apoios de braço podem ser metálicos, harmonizando com um lustre de mesa ou de teto, puxando ainda para o mesmo estilo dos pés da cadeira e dos demais assentos.

Por fim, a altura da cadeira em relação à mesa e ao teclado do computador tem tudo a ver com o conforto e a saúde do corpo. Ao mesmo tempo, se relacionam decorativamente com a mesa que será escolhida, da qual falamos anteriormente.

Neste sentido, a funcionalidade de uma mesa capaz de receber uma régua rack 8 tomadas, liga-se com a ergonomia e com a decoração de uma só vez, tornando o home office algo muito mais elaborado e mais bonito.

4.     Privacidade e iluminação

Certamente a privacidade é um dos fatores mais marcantes no home office e tem tudo a ver com a decoração do espaço. Afinal, ninguém vai se trancar no closet para trabalhar, não é mesmo?

Nem tanto, pois já existe um conceito chamado “cloffice”, que consiste em aproveitar o closet ou armário menores como um modo de instalar ali a estação de trabalho, que depois “desaparece” com o simples fechar de uma porta de correr.

Empresas que fazem móveis embutidos, ou mesmo instalação de cameras e serviços similares, são especialistas nesse tipo de aproveitamento de espaço. A grande dica aqui é pensar sempre na iluminação que vai incidir no local.

A prioridade sempre recai na iluminação natural, que você poderá controlar facilmente com cortinas e persianas, quando estiver em excesso. Isso porque é mais fácil lidar com isso do que com instalações de luz artificial.

Por outro lado, em termos de decoração já existem muitas soluções pensadas especificamente para a iluminação artificial, que vão além da lâmpada no teto. São as luminárias de mesa, as pendentes, as de tipo spot. Além, é claro, de abajures.

5.     Elementos naturais

Além de aproveitar a iluminação natural, também é aconselhável dar um toque especial com outros elementos, que podem ir desde plantas e flores até aquários.

Certamente um CEO que for trabalhar em casa vai pensar em cada detalhe, desde esquadrias de alto padrao até um aquário com os peixes que ele mais gosta.

Tudo isso tem um efeito quase terapêutico que torna o ambiente não apenas mais bonito em termos de decoração, mas também mais agradável e receptivo.

Quem não tem dinheiro para algo tão ousado pode resolver com vasinhos de plantas. As artificiais podem ser bem decorativas, mas se quiser criar uma relação maior com elas, opte por plantas naturais, que demandem algum cuidado seu.

6.     Bônus: sobre praticidade

Depois de falar sobre conforto, ergonomia e até saúde, deixamos claro que a decoração nunca deve andar sozinha. Por isso mesmo, também é fundamental falar em praticidade.

É claro que esse é um aspecto mais evidente, e que conduz nossas escolhas mesmo quando não estamos pensando nele, mas isso não impede algumas dicas.

A principal delas é utilizar móveis secundários e objetos práticos, como estantes, prateleiras ou mesmo aqueles famosos nichos de parede. A mesma situação vale para gaveteiros, cestos e até um porta-caneta, que podem dar todo um charme à decoração.

Após esse bônus chegamos ao fim, deixando claro que o seu home office tem tudo para ser prazeroso, agradável e ao mesmo tempo saudável e prático. Para conseguir algo assim, basta seguir as dicas que demos acima.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


Rejanedrumond
Rejanedrumond

Apaixonada pela criatividade, pela beleza nas pequenas coisas e pela alegria que move a vida. Acredita que a arquitetura é feita para melhorar a vida das pessoas, seja pelo prazer de estar em uma casa bonita, na praticidade de usar um espaço bem pensado ou na proteção e conforto de uma edificação.

Leave a Reply

Your email address will not be published.